Americana acreditava que seu apartamento era assombrado faz descoberta ainda mais assustadora Pular para o conteúdo principal

Americana acreditava que seu apartamento era assombrado faz descoberta ainda mais assustadora


Suposto fantasma que assustava garota americana em seu apto revelou-se um estranho escondido no armário que vestia suas roupas.

Uma universitária da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, que só foi identificada como Maddie, pensou que o apartamento fora do campus que ela dividia com uma colega de quarto era assombrado depois que suas roupas começaram a desaparecer e estranhas marcas de mãos começaram a aparecer em espelhos e paredes. No entanto recentemente ela descobriu que não estava lidando com um fantasma, mas algo igualmente aterrorizante: um homem estranho em seu armário que vestia suas roupas.

- "Eu ouvi de novo o barulho no armário. Parecia um guaxinim", disse Maddie. - "Então perguntei: 'Quem está aí?' E alguém me respondeu: "Oi, meu nome é Drew. Tudo bem?" Ela então abriu a porta e lá estava ele, vestindo as suas roupas. Suas meias e sapatos. E tinha até uma mochila cheia com as roupas dela.


A estudante chocada, que frequenta a Universidade da Carolina do Norte em Greensboro, conseguiu manter a compostura e rapidamente chamou seu namorado. Ao mesmo tempo, ela começou a conversar com o cara assustador em seu armário para distraí-lo e ganhar tempo. Curiosamente, ele parecia mais do que feliz em se revelar.

- "Ele experimenta meu chapéu. Foi ao banheiro e olhou no espelho e depois ficou tipo: 'você é muito bonita, eu posso te dar um abraço?'", lembrou Maddie. - "Mas ele nunca me tocou."

Quando o namorado de Maddie chegou ao seu apartamento, ele fez o hóspede não convidado sair e chamou a polícia. O "fantasma do armário" foi preso mais tarde perto do prédio e identificado como Andrew Swofford, de 30 anos. Na segunda-feira, ele foi preso no Condado de Guilford com uma fiança de US $ 26.000 por 14 acusações criminais, incluindo furto e roubo de identidade.


Maddie diz que teve sorte ao descobrir Drew em seu armário porque ela foi ao apto na hora do almoço para pegar algumas coisas, o que ele provavelmente não estava esperando. No entanto, nem a aluna nem a polícia podem explicar como ele conseguiu entrar no apartamento, pois a porta está sempre trancada e não há sinais de entrada forçada. A empresa de administração de imóveis encarregada do prédio também está tentando descobrir como algo assim aconteceu.

Mais estranho ainda é o fato de que esta foi a segunda vez que Maddie encontrou estranhos em seu apartamento em pouco mais de um mês. Em dezembro, ela chegou em casa para encontrar dois homens estranhos em sua sala de estar. Ela alertou a administradora e eles trocaram as fechaduras da porta da frente, mas não notificaram a polícia sobre o incidente.

Apesar de ter finalmente resolvido o mistério do fantasma do armário, Maddie diz que não se sente mais segura morando no apartamento.

- "Ontem à noite não me senti segura. Eu dormi com minha colega de quarto em sua cama", confessou a jovem. - "Eu não posso mais ficar aqui. Meu armário está fedendo. Toda vez que eu entro em meu quarto, sinto uma uma vibe ruim. Vou sair daqui o mais rápido possível."


Fonte: MDig

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Comentários

Siga-nos no Facebook

Postagens Recomendadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais acessadas no último mês

Links da Deep Web 2018

Saudações amigos e amigas. Hoje eu volto a publicar no blog Noite Sinistra uma matéria com links da deep web e prints da deep web.
Os links apresentados na matéria abaixo foram coletados entre janeiro e fevereiro de 2018, estando todos eles ativos nesse período, mas nada pode garantir que os mesmos estarão ativos até o final do ano, afinal de contas muitos sites na deep web mudam constantemente seus endereços afim de se manterem o mais seletivos quanto aos usuários que frequentam o espaço.

Exorcismo e orações em Latim

Nas culturas egípcia, babilônica, assíria e judaica, atribuíam-se certas doenças e calamidades naturais à ação dos demônios. Para afastá-los, recorria-se a algum esconjuro ou exorcismo. A cultura ocidental recebeu essas idéias através da Bíblia e do cristianismo primitivo.

Luka Rocco Magnotta: 1 Lunatic 1 Ice Pick

Luka Rocco Magnotta (nascido Eric Clinton Kirk Newman; 24 de julho, 1982) é um ator pornográfico e modelo acusado de matar e desmembrar Lin Jun, um estudante chinês, e mandar vários de seus pedaços por correio para escritórios de partidos políticos canadenses e para escolas elementares de outra província.
Após o vídeo mostrando o assassinato ser publicado, primeiramente, em Fóruns da Deep Web (o vídeo ficou conhecido como "1 Lunatic 1 Ice Pick"), porém hoje em dia o vídeo já pode ser facilmente encontrado em sites especializados em terror Gore, Magnotta fugiu do país, tornando-se motivo para uma “Nota Vermelha da Interpol”, e assim iniciando uma verdadeira caçada internacional. Ele foi preso em 4 de Junho de 2012 em uma Lan House em Berlin, enquanto lia notícias a respeito de si mesmo.

O paraíso do LSD

Em 1997, um químico orgânico chamado Leonard Pickard, junto a Gordon Todd Skinner, construíram o maior laboratório de LSD do mundo. No local, um antigo silo nuclear, eram realizadas várias festas e orgias regadas a drogas.
Segundo fontes, tal laboratório era tão grande que chegou a produzir cerca de 90% do LSD disponível no mundo, isso sem falar nas grandes quantidades desconhecidas de MDMA, ALD-52, extrato de ergot e possivelmente LSZ.

Ted Bundy: O assassino de jovens mulheres

Saudações amigos e amigas. Hoje falaremos de um dos mais notórios serial killers que o mundo já conheceu: Ted Bundy. Ele assassinou cerca de 35 mulheres (crimes reconhecidos pelas autoridades) entre os anos de 1974 e 1978 em seis diferentes estados dos EUA. Ted Bundy é tido, por muitos, como o mais marcante serial killer dos EUA, tornando-se um verdadeiro pop star, muito disso talvez pela forma em que atuou no seu próprio julgamento, ou talvez pela desenvoltura que demonstrava defronte as câmeras em inúmeras entrevistas que deu durante o período em que esteve preso.