David McGreavy, o empalador de crianças de Worcester | Noite Sinistra
06/12/2018

David McGreavy, o empalador de crianças de Worcester


O chocante assassinato de três crianças por um homem que cuidava delas como babá na cidade inglesa de Worcester voltou a chamar a atenção da mídia recentemente, isso porque o autor dos assassinatos, David McGreavy, pode ganhar a liberdade mesmo tendo sido sentenciado a prisão perpétua.

Os crimes de Worcester

David Anthony McGreavy nasceu em 1951 em Southport, filho de Thomas e Bella McGreavy, sendo o segundo de seis filhos. O pai de David, Thomas, era sargento do exército britânico e a família se deslocava com frequência entre diferentes postos do exército. Em 1967, David McGreavy deixou a escola e ingressou na Royal Navy, onde esperava fazer carreira.

No entanto, ele foi demitido da Marinha em agosto de 1971, depois de ter sido processado por ter iniciado um incêndio que destruiu uma sala onde eram guardados equipamentos não utilizados. 

Após os incidente McGreavy voltou a morar com os pais em Worcestershire. Nos meses seguintes sua noiva terminou com ele e ele foi demitido de vários empregos. Cansado da falta de trabalho e do excesso de bebida do filho, seus pais o forçaram a sair de casa.

Em 1972, incapaz de viver com seus pais, McGreavy começou a embarcar com seu amigo Clive Ralph e sua esposa Elsie, e seus dois filhos pequenos, Paul (nascido em 1968) e Dawn (nascido em 1971).

Clive e Elsie tinham sido amigos de escola e havia uma diferença de cinco anos entre eles; eles se casaram em setembro de 1968, quando Elsie tinha 16 anos e estava grávida de Paul. Eles moravam na rua Gillam, no distrito de Rainbow Hill, em Worcester . Na época em que McGreavy se mudou, Elsie estava grávida do terceiro filho dos Ralphs, Samantha Jane, que nasceu em setembro de 1972.


Na época McGreavy tinha um emprego na fábrica o que lhe permitia pagar um aluguel de £ 6,00 por semana para alugar o cômodo em que vivia na casa da família Ralph.

Os Ralphs e outros vizinhos chegaram a afirmar que McGreavy era muito carinhoso e atencioso com crianças, especialmente os filhos dos Ralphs, mas no dia 13 de abril de 1973, McGreavy assassinou o jovem Paul Ralph, de quatro anos, e suas irmãs Dawn, de 2 anos, e Samantha, de 9 meses de idade. Pelo crime ele acabou conhecido como "O monstro de Worcester ". 

O mais tenebroso foi que McGreavy empalou suas jovens vítimas na cerca do jardim. Mais tarde o monstro alegaria que matou as crianças pois uma delas não parava de chorar.



Bairro onde os crimes aconteceram nos dias atuais
O pequeno Paul foi estrangulado, enquanto Dawn foi encontrada com um corte na garganta e Samantha, com uma fratura composta no crânio.

Na noite dos assassinatos, ele cuidou das crianças por cerca de uma hora – para que a mãe pudesse trabalhar em um pub.

Declarações da mãe das crianças

Há dois anos, em sua casa em Hampshire, Elsie Urry, mãe das crianças, contou à BBC que até hoje visita com regularidade as sepulturas dos filhos em Worcester. Segundo Urry, ela saiu aquela noite para trabalhar deixando as crianças aos cuidados de McGreavy, porque ela e o marido estavam juntando dinheiro para comprar uma casa maior.



Muitas pessoas da cidade acabaram culpando Urry pela morte dos filhos. "Sinto que as pessoas me culpam pelo que aconteceu porque eu estava trabalhando naquela noite", acrescentou.

Na época jornais até cogitaram que  Elsie e David tivessem tido um caso, mas isso nunca foi provado.

O monstro de Worcester pode ganhar a liberdade

David McGreavy, preso em 1973 e condenado a prisão perpétua pelos assassinatos, mas um relatório do Conselho de Liberdade Condicional disse que o homem "mudou consideravelmente" ao longo de 45 anos de prisão. Assim, o órgão decidiu por sua libertação após uma audiência.

Elsie Urry disse ao jornal The Sun ter "implorado" para que McGreavy, hoje com quase 60 anos, continuasse na prisão.

David McGreavy, em 2006, após ter o benefício de sair da prisão por um dia, algo semelhante a alguns indultos concedidos a presidiários em algumas datas especiais.

"O que esse animal fez com meus filhos foi tão ruim quanto o que fizeram os Moors Murders (assassinatos de crianças perpetrados pela dupla Ian Duncan Stewart e Myra Hindley na década de 60 na região de Manchester)", disse Urry ao jornal.

"Ele colocou meus bebês em espetos, pelo amor de Deus. Ele os mutilou e eles morreram em agonia."


A mãe relata ter sido tranquilizada, após o julgamento do caso, de que o crime de McGreavy "foi tão terrível que ele nunca mais seria libertado" - mas agora diz sentir-se "traída".

O Conselho de Liberdade Condicional avaliou que o condenado tem hoje "uma compreensão considerável dos problemas que já teve e do que os causou". Um documento do órgão diz que um psicólogo identificou "vários fatores que tornam menos provável que McGreavy reincida no futuro".

"Isso inclui um autocontrole aprimorado e o fato de que McGreavy aprendeu a permanecer calmo em situações estressantes."

A possibilidade da libertação de McGreavy tem sido discutida pelas autoridades há pelo menos 10 anos.

Ian Kelcey, copresidente do Comitê de Direito Penal da Law Society, avaliou a decisão: "Meu sentimento é de que temos que confiar no Conselho de Liberdade Condicional".

Rose Dixon, diretora-executiva da instituição de caridade Support After Murder and Manslaughter, dedicada aos cuidados de famílias vitimadas por crimes contra a vida, afirmou que a deliberação do conselho levaria os Urryde "de volta ao dia dos assassinatos".

"É uma experiência muito traumática perder alguém por assassinato. Temos dificuldade em armazenar memórias traumáticas no cérebro, então, quando surge um evento como a deliberação do conselho ou a libertação de alguém, isso literalmente joga a família de volta (ao passado)."

Fontes: BBC, Wikipédia e Murderpedia

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



1 Comentários
Comentários
Um comentário:
  1. que barbarie...nunca deveria ser solto, eu acredito piamente que um psicopata jamais será uma pessoa apta a viver em sociedade, sempre terá o instinto assassino, que uma hora ou outra pode aflorar, mesmo que tenha se passado tanto tempo...

    ResponderExcluir

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no Instagram

Postagem em destaque