14/05/2018

A lenda Asteca dos Cinco Sóis


A lenda dos cinco sóis explica as crenças que os astecas tinham em que outros mundos existiram antes do deles.

De acordo com os astecas, houve quatro mundos ou sóis anteriores, como eles os chamavam, cada um governado por um deus específico, uma raça humana única e devastada por um fenômeno natural diferente.

Cada um desses sóis estava ligado aos elementos básicos: terra, água, ar e fogo. Cada um desses elementos estava relacionado não apenas à natureza e sua composição, mas também à sua destruição.

Existem várias versões desse mito, já que as informações não estão completas e a ordem geralmente muda.

Esta versão é baseada na história dos mexicanos e suas pinturas.

A origem do mundo em que vivemos hoje

Após as devastações dos quatro sóis, Quetzalcoatl e Tezcatlipoca são reconhecidos pela recriação da Terra e do céu, não como inimigos, mas como aliados.

De acordo com o mito asteca da criação, Quetzalcoatl e Tezcatlipoca criam o céu e a Terra, desmembrando o monstro da terra Tlaltecuhtli – o senhor da Terra.

Diz-se que o Tlaltecuhtli foi combinado com outro monstro, o grande jacaré que, com o seu crocodilo, moldou as montanhas do mundo.

Seres do Céu?

Uma das versões desse mito nos diz que Quetzalcoatl e Tezcatlipoca desceram do céu para observar Tlaltecuhtli. Ao fazê-lo, eles viram como o desejo de Tlaltecuhtli por carne fresca era tão grande que não só Tlaltecuhtli tinha uma mandíbula cheia de dentes afiados, mas ele também tinha dentaduras rangendo nos ombros e nos joelhos.

Depois de ver isso, os deuses concordaram que a criação não poderia ser concluída enquanto o monstro estivesse vivo.

Para criar a Terra, Quetzalcóatl e Tezcatlipoca se tornaram cobras gigantes.

Monólito Tlaltecuhtli encontrado em 2006 durante escavações no Centro Histórico da Cidade do México. Crédito de imagem: Wikimedia Commons

Eles decidiram destruir Tlaltecuhtli.

Um deles pegou a mão esquerda e o pé direito de Tlaltecuhtli, enquanto o outro arrebentou Tlaltecuhtli pela mão direita e o pé esquerdo e entre os dois desmembrou o monstro.

A parte superior do monstro criou a Terra, enquanto a parte inferior se tornou o céu.

No entanto, a destruição de Tlaltecuhtli deixou os outros deuses com raiva, então eles decidiram que para confortar a Terra, todas as plantas que o homem precisaria viver cresceriam a partir dela.

De seus cabelos cresciam árvores, flores e ervas e de sua pele grama e pequenas flores; seus olhos seriam a fonte dos riachos, lagoas e pequenas cavernas; de sua boca os grandes rios e cavernas, enquanto seu nariz seria a crista das montanhas e vales.

A lenda diz que você podia ouvir o grito do monstro à noite, sedento de sangue e pelos corações das pessoas. Dizem que suas necessidades são acalmadas por sacrifícios e oferendas de carne e sangue, que acalmaram Tlaltecuhtli e o tornaram benevolente para o povo, dando os frutos necessários para a vida humana continuar.

Conheça abaixo quais são os tais cinco mundos das lendas astecas

O primeiro Sol – Tezcatlipoca

Nahui-Ocelotl (Sol Onça) – Habitantes eram gigantes que foram devorados por onças. O mundo foi destruído.

Tezcatlipoca foi o primeiro sol a iluminar o mundo. Tezcatlipoca foi o sol por 676 anos.

Para o mundo ser completo, a grande fonte de energia – o Sol – tinha que ser criada. O Sol é a chave para os ciclos nos mitos da criação asteca. No entanto, o Sol é tão poderoso que não pode ser criado. De acordo com os astecas, o Sol só pode vir após o sacrifício de um deus: Tezcatlipoca. No entanto, o poderoso deus Tezcatlipoca só conseguiu se tornar meio sol, tornando esta primeira criação incompleta. Durante a primeira era, os deuses criaram gigantes das cinzas e lhes deram bolotas para comer. Quando Tezcatlipoca deixou de ser o Sol, todos os gigantes foram comidos por onças e nenhum deles permaneceu.

Tezcatlipoca deixou de ser Sol porque Quetzalcoatl o derrubou do céu. Com raiva, Tezcatlipoca enviou onças para destruir os gigantes. Este mundo desapareceu por tremores e o homem foi devorado pelas onças.

O segundo Sol – Ehecatonatiuh

Nahui-Ehécatl (Sol do vento) – Habitantes foram transformados em macacos. Este mundo foi destruído por furacões.

Durante o segundo Sol, os seres humanos foram criados como existem agora, tamanho normal. Os deuses davam aos humanos nozes para comer e a humanidade existia pacificamente. No entanto, o povo tornou-se corrupto e vingativo, e Tezcatlipoca transformou-os em macacos. Furioso, por causa disso, Quetzalcoatl enviou um furacão para soprar os macacos para longe.

Quetzalcoatl foi o Sol por 675 anos até que Tezcatlipoca o destruiu.

O terceiro Sol – Tletonatiuh

Nahui-Quiahuitl (Chuva do Sol) – Habitantes foram destruídos por uma chuva de fogo. Somente os pássaros sobreviveram (ou os habitantes sobreviveram tornando-se pássaros).

Tlaloc foi uma das primeiras criações dos deuses, o deus da chuva e da água. Tlaloc foi o próximo Sol. No entanto, assim como com os mortais, problemas pessoais se tornaram sua queda. Tezcatlipoca foi o instigador. Durante o terceiro domingo, Tezcatlipoca roubou a esposa de Tlaloc (Xochiquetzal), e Tlaloc ficou de coração partido. Ele brilhou como o Sol, mas se recusou a enviar chuva, apesar de ser o deus da chuva e dos apelos do povo. Logo depois, uma terrível seca varreu a Terra e, finalmente enfurecido, Tlaloc fez chover, mas com fogo, causando a destruição do mundo, queimando tudo.

O terceiro sol e durou 364 anos.

O quarto Sol – Atonatiuh

Nahui-Atl (Sol da Água) – Este mundo foi inundado, transformando os habitantes em peixes. Um casal escapou, mas foi transformado em cachorros.

Durante o Quarto Sol, a irmã de Tlaloc – Calchiuhtlicue – foi escolhida para ser o Sol. No entanto, cheios de ciúmes, Tezcatlipoca e Quetzalcoatl derrubaram o Sol. Quando Calchiuhtlicue caiu, o céu se abriu e a água inundou a Terra, causando a destruição do mundo.

Chalchiuhtlicue durou 312 anos dando origem aos peixes-homens, que na época comiam fivecopi, uma semente semelhante ao milho.

O quinto Sol – A Criação do Homem

Nahui-Ollin (Sol terremoto) – Somos os habitantes deste mundo. Este mundo será destruído por terremotos (ou um grande terremoto).

Os deuses decidiram que, como havia um mundo novo, a recriação do homem era necessária para povoar a Terra.

De acordo com o mito, Quetzalcoatl teve que ir para o submundo para recuperar os ossos humanos da última era, isto é, a raça que foi transformada em peixe pelo dilúvio.

O submundo era um lugar perigoso conhecido como Mictlan, governado por Mictlantecuhtli, senhor do submundo.

Fonte: OVNI Hoje

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no Instagram

Postagem em destaque