O massacre na Escola Estadual Professor Raul Brasil


Um ataque a tiros à escola estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, na manhã desta quarta-feira (13), deixou ao menos 10 mortos e outras 23 pessoas feridas, 11 delas em estado mais preocupante.

Em declaração dada pela polícia dia 14-03 foi confirmado que um terceiro adolescente de 17 anos ajudou a planejar todo ataque. Segundo matéria do site Vice Brasil, a polícia investiga também a relação dos jovens com a DeepWeb.

Na manhã do dia 13/03/19 o Brasil voltou a ficar estarrecido por causa de uma tragédia. Uma dupla de jovens invadiu a Escola e disparou suas armas contra diversas pessoas, algo que lembra muito o terrível caso de  Columbine (clique AQUI para saber mais), nos EUA, onde dois estudantes promoveram um dos mais assustadores massacres nas terras do tio Sam.

Abaixo os amigos e amigas poderão conferir uma matéria que fala dessa tragédia brasileira. Ao longo dos próximos dias irei atualizar constantemente esse texto com as novidades a respeito do caso.

O massacre que abala Suzano

Antes invadirem a escola, os dois jovens encapuzados identificados pela polícia como Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, atiraram no dono de uma locadora de veículos próxima ao local. Essa primeira vítima passa por uma cirurgia na Santa Casa em Suzano, mas não há informações detalhadas sobre seu estado de saúde. Segundo informações levantadas pelo site G1, esse homem, Jorge Antonio de Morales, seria tio de Guilherme. Na quinta feira, dia 14-03, Jorge acabou falecendo devido os ferimentos.

Luiz Henrique de Castro (esquerda) e Guilherme Taucci Monteiro (direita), assassinos de Suzano

Minutos depois, segundo a Polícia Militar de São Paulo, a dupla entrou pela porta da frente da escola e atirou em uma coordenadora pedagógica e em uma funcionária da escola.

Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, foi identificado com um dos atiradores de Suzano
Os autores do crime chegaram à escola em um carro branco, que foi alugado por um dos assassinos, conforme pode ser visto nas imagens abaixo. Ainda não foi revelado se esse carro pertencia a loja de aluguel de veículos de Jorge.


O ataque foi feito durante o intervalo, quando os alunos se concentram fora das salas de aula. No horário do crime, só havia estudantes do ensino médio na escola.


Em seguida, os dois atiradores se encaminharam até o pátio da Professor Raul Brasil, onde atiraram em mais alunos, causando a morte de, até o momento, cinco estudantes. Na sequência, se dirigiram ao centro de línguas dentro da escola, mas estudantes conseguiram se trancar na sala com a professora.


"Eles ingressaram na escola, atiraram na coordenadora pedagógica, atiraram numa outra funcionária. Estava na hora do lanche, eles se dirigiram ao pátio, atiraram em mais quatro alunos do ensino médio. Nesse horário, só havia alunos do ensino médio, e [os autores do ataque] dirigiram-se ao centro de línguas. Os alunos do centro de línguas se fecharam na sala com a professora e eles [criminosos] se suicidaram no corredor", disse o coronel Marcelo Salles, comandante-geral da PM.

Foi neste momento, segundo a polícia, que os dois atiradores se suicidaram em um dos corredores da escola. Ainda não há informações sobre as possíveis motivações do crime.

"É um atentado de alguém que não tem o domínio de suas próprias faculdades", afirmou Marcelo Vieira Salles.

Durante o ataque, uma câmera de segurança registrou alunos fugindo pela porta da frente e até pulando o muro.

Cerca de 23 pessoas foram levadas a hospitais. Entre elas, há feridos e outras que passaram mal após o ataque.

As vítimas do ataque
Até o dia 14-03, 8 pessoas acabaram mortas no ataque, mais os dois autores do ataque, totalizando 10 vítimas fatais. São 11 pessoas feridas, sendo que algumas dessas encontram-se em um estado mais delicado.

Os mortos são:

  • Caio Oliveira, 15 anos, estudante
  • Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos, estudante
  • Douglas Murilo Celestino, 16 anos, estudante
  • Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos, agente de organização escolar
  • Jorge Antonio de Moraes, 51 anos, comerciante, morto antes da entrada dos assassinos na escola; ele é tio de Guilherme, um dos assassinos
  • Kaio Lucas da Costa Limeira, 15 anos, estudante
  • Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos, coordenadora pedagógica
  • Samuel Melquíades Silva de Oliveira, 16 anos, estudante
Marilena


Os feridos são:

  • Adna Isabella Bezerra de Paula, 16 anos, estudante
  • Anderson Carrilho de Brito, 15 anos, estudante
  • Beatriz Gonçalves Fernandes, 15 anos, estudante
  • Guilherme Ramos do Amaral, 14 anos, estudante
  • Jenifer Silva Cavalcanti
  • José Vitor Ramos Lemos, estudante
  • Leonardo Martinez Santos
  • Leonardo Vinicius Santa Rosa, 20 anos
  • Leticia de Melo Nunes
  • Murilo Gomes Louro Benite, 15 anos, estudante
  • Samuel Silva Felix

Armamento

De acordo com a Polícia Militar, os atiradores que atacaram na escola de Suzano utilizaram um revólver de calibre 38 e tinham jet loaders. Os jet loaders são acessórios plásticos dotados de uma mola que auxiliam a recarregar o tambor de um revólver com muito mais rapidez do é feito manualmente - cápsula por cápsula.



Apesar de a venda de armas ter restrições no país, o acessório pode ser encontrado facilmente em lojas e até mesmo online em sites de vendas. Nos anúncios, as peças são oferecidas por cerca de R$ 40.

Ainda de acordo com informações da PM, foram encontrados artefatos no local que podem ser explosivos. A escola foi evacuada.


Segundo o comandante-geral da polícia, os dois atiradores também estavam com uma besta e um arco e flecha.


"Foi a nossa cena mais triste que já vi na minha vida", afirmou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), a jornalistas na região da escola. Segundo ele, policiais chegaram à escola cerca de oito minutos após o início do ataque.

O Censo Escolar de 2017 aponta que a escola tem mais de mil alunos, que cursam do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio.

O governador se dirigiu à cidade para acompanhar o atendimento aos feridos.


Doria afirmou a jornalistas no local que ficou muito abalado com o que presenciou na escola. "Antes de tudo às vítimas, aos pais, aos familiares das crianças, dos funcionários e dos homicidas, a nossa solidariedade. Foi a nossa cena mais triste que já vi na minha vida."




Seis vítimas de massacre em escola de Suzano são veladas em arena

O velório dos corpos de seis vítimas do massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), começou por volta das 6h30 desta quinta-feira (14), na Arena Suzano no Parque Max Feffer. Desde então, mais de 5 mil pessoas passaram pelo local.



Mais de 20 coroas de flores estão distribuídas pelo espaço. Uma grade divide a área reservada para as famílias das vítimas, e um corredor foi montado para o público circular pelo local.

Os corpos chegaram ao local às 6h10. São velados:

  • Caio Oliveira, 15 anos
  • Kaio Lucas da Costa Limeira, 17 anos
  • Samuel Melquíades Silva de Oliveira, 16 anos
  • Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos
  • Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos
  • Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos
Uma missa ecumênica está prevista para acontecer no local às 11h.

O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, e o ministro da Educação, Ricardo Vélez, estiveram na Arena. Vélez passou diante de cada caixão e abraçou as famílias. O governador de São Paulo, João Doria, também é esperado no local.


Rosana Silva é tia de uma das vítimas, Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos, e também é voluntária de uma ONG que trata de violência. Ela foi se despedir da sobrinha e prestar solidariedade às famílias das vítimas.

"É muito triste tudo isso que está acontecendo, foi uma coisa inesperada. Cadê a segurança? Nossos filhos vão para escola e a gente não sabe se eles vão voltar? Nosso governo libera armas e não pensa nas consequências. Olha quantas vidas perdidas, quantas famílias destruídas", disse Rosana.

Sobre a sobrinha, ela contou que era uma pessoa muito boa, tratava bem todo mundo. "Sempre gostou de trabalhar lá e era muito amiga dos alunos", afirmou. Eliana era agente de organização escolar.

Cerca de 50 profissionais da rede municipal de saúde estão prestando atendimento na Arena Suzano, entre médicos psiquiatras e clínicos gerais, psicólogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e assistentes sociais.

Os corpos sairão da Arena às 15h, com um intervalo de 30 minutos entre cada um e seguirão em cortejo até o cemitério. Eles serão enterrados no Cemitério São Sebastião, com exceção do corpo de Marilena Umezo, que será sepultado apenas no sábado (16), quando um dos filhos dela retornar do exterior.

Velórios de outras vítimas

O velório de Douglas Murilo Celestino começou por volta de 1h em uma igreja evangélica em Suzano.

O corpo do comerciante Jorge Antonio de Moraes está sendo velado no Cemitério Colina dos Ypês, em Suzano, onde será sepultado.

Polícia confirma terceiro envolvido no massacre em Suzano

O delegado geral da Polícia Civil, Ruy Ferraz Fontes, disse que o terceiro elemento é menor de idade e vizinho de um dos responsáveis pelo atentado na escola.


Na coletiva de imprensa realizada dia 14-03 às 17 horas na Sede da Delegacia Geral da Polícia Civil do Estado de São Paulo, secretário executivo da Segurança Pública Youssef Abou Chahin e o delegado geral da Polícia Civil, Ruy Ferraz Fontes, deram mais detalhes do andamento das investigações sobre o massacre cometido em Suzano nesta quarta-feira (13), deixando 10 mortos.

O delegado confirmou que um terceiro envolvido na coordenação do atentado foi identificado na investigação. Segundo Fontes, o suspeito é um adolescente de 17 anos e vizinho próximo a um dos atiradores. Ele também era ex-aluno do colégio Raul Brasil e colega de Guilherme Taucci de 17 anos.

"A apreensão dele já foi sugerida ao juízo da Infância e da Juventude e o material relacionando com a participação dele já na arrecadado pela equipe do Doutor Alexandre, que é o responsável pelo inquérito," disse. "Temos outros dados que fazem crer que esse indivíduo participou na fase de planejamento."

O delegado se recusou a comentar sobre a possibilidade de envolvimento dos jovens responsáveis pelo atentado com a deep web. Os computadores dos jovens foram apreendidos pela polícia e estão sendo analisados.

Fontes confirmou que a motivação do grupo era ganhar destaque na mídia e foi amplamente inspirado no massacre de Columbine de 1999. O líder, segundo o delegado, era Guilherme. "Eles queriam demonstrar que poderiam agir como aconteceu na escola em Columbine nos EUA com crueldade e com caráter trágico pra que eles fossem mais reconhecidos do que eles. O bullying só foi citado em uma parte e não é significativo", disse.

Tragédia de Suzano é o sétimo ataque ocorrido no Brasil

Embora os Estados Unidos ainda sejam palco principal para atentados do tipo, o Brasil já possui histórico de ataques semelhantes ao que aconteceu, na manhã desta quarta-feira (13), na escola estadual Professor Raul Brasil , em Suzano, na Grande São Paulo. Com o ataque de hoje, que deixou pelo menos dez mortos, o Brasil já acumula sete massacres semelhantes.

O primeiro atentado nacional que vem a mente de todo o brasileiro em casos de tiroteios dentro de escolas é o de Realengo, no Rio de Janeiro. No entanto, massacres semelhantes já foram registrados em Goiânia (GO), em Medianeira (PR), em Janaúba (MG), em Campinas (SP) e na própria capital paulista. Alguns dos casos não aconteceram em instituições de ensino, mas em igrejas e até em cinemas.

Agora, em 2019, completam-se 20 anos do tiroteio que deixou mortos no cinema do Morumbi Shopping, na capital paulista. O crime aconteceu em novembro de 1999, quando um estudante de Medicina entrou em uma das salas de cinema do shopping e abriu fogo contra a plateia. A tragédia aconteceu durante uma sessão do filme Clube da Luta. Três pessoas morreram, quatro ficaram feridas e o atirador só parou quando foi contido por policiais.

O caso mais recente aconteceu em dezembro do ano passado, quando um homem invadiu uma missa na Catedral Metropolitana de Campinas, em São Paulo, e abriu fogo contra fiés. Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos, matou cinco pessoas e depois cometeu suicídio. Outras quatro ficaram feridas após serem atingidas pelos disparos. A maioria das vítimas eram idosas.

Ainda em 2018, no mês de setembro, um adolescente de 15 anos entrou armado no Colégio Estadual João Manoel Mondrone, em Medianeira, no oeste do Paraná. Ele atirou contra colegas de classe, deixando dois feridos. Ninguém morreu neste ataque e o autor dos disparos foi apreendido, juntamente a outro adolescente suspeito de ter dado cobertura. Com a dupla, foi apreendida uma faca, um revólver calibre 22 e munição.

Em outubro de 2017, na cidade mineira de Janaúba, um vigia provocou um incêndio criminoso em uma sala de aula da creche Gente Inocente onde trabalhava . Na ocasião, Damião Soares dos Santos, de 50 anos, jogou combustível em si próprio e nos alunos, e depois ateou fogo. O atentado matou nove crianças e uma professora, que tentou salvar os estudantes. O próprio vigia também não resistiu aos ferimentos.

Também em outubro de 2017, dois alunos morreram durante um tiroteio ocorrido dentro do Colégio Goyases , localizado no Conjunto Rivieira, na região leste de Goiânia. O autor do ataque a tiros foi um jovem de 14 anos de idade e estudante do oitavo ano do ensino fundamental na escola.

Ele foi detido e encaminhado à delegacia e à época, contou à Polícia Civil que se inspirou em Realengo e no massacre de Columbine (clique AQUI para saber mais), nos Estados Unidos — que deixou 12 alunos e um professor mortos em abril de 1999.

O caso de Realengo , na zona oeste do Rio, foi em abril de 2011. No episódio, 12 pessoas foram mortas e 22 ficaram feridas na Escola Municipal Tasso da Silveira. Era para ser uma quinta-feira como outra qualquer, mas uma hora depois do início das aulas, por volta das 8h30, a calmaria foi interrompida.

Com o pretexto de que iria para uma palestra com ex-alunos, Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, entrou no colégio, seguiu para duas classes localizadas no primeiro andar do prédio, matou a tiros 10 meninas e dois meninos.

Somadas, as mortes deixadas por todos esses massacres já chegam a 43 – contando com os dez mortos do ataque de hoje, cujo saldo de vítimas fatais ainda pode aumentar.

Fontes: BBC, Ultimo Segundo e G1

Quando amanhecer, você já será um de nós...

Comentários

SIGA-NOS NO FACEBOOK

POSTAGENS MAIS VISITADAS DA SEMANA

Links da Deep Web 2018

Links da Deep Web 2019

A guerra entre as famílias Alencar, Sampaio e Saraiva

Links da Deep Web

Luka Rocco Magnotta: 1 Lunatic 1 Ice Pick

Laerte Patrocínio Orpinelli: O andarilho da morte