O criptograma de Olivier Levasseur Pular para o conteúdo principal

O criptograma de Olivier Levasseur


Olivier Levasseur, mais conhecido como “La Buse” (o Urubu), foi um famoso pirata francês conhecido pela velocidade e crueldade em seus saques. Mas o maior mistério que envolve seu nome é um tesouro, avaliado em 1 bilhão de libras que ele, supostamente, teria escondido e para revelar a localização ele criou um criptograma que até os dias de hoje não foi decifrado.

O pirata Olivier Levasseur

La Buse nasceu em Calais, no norte da França. Trabalhou de corsário para a coroa francesa durante a Guerra da Sucessão Espanhola e, quando a guerra terminou, recebeu a ordem de voltar para casa. No ano de 1716 começou sua “carreira” como pirata.

A partir de 1720 juntou-se com outro pirata, o inglês Taylor, e passou a comandar seus saques a partir da ilha de Sainte-Marie, na costa de Madagascar.

O maior de seus ataques aconteceu a um galeão português, quando este voltava para Lisboa. O saque foi muito bem sucedido, rendendo todo tipo de riquezas (barras de ouro e prata, seda, pedras preciosas, itens religiosos – o principal deles uma grande cruz dourada – etc).

Após conceder anistia aos piratas que participaram do roubo, La Buse também tentou negociar o seu perdão, mas o governo francês queria a maior parte do tesouro saqueado de volta. Levasseur não aceitou e fugiu para o arquipélago de Seychelles, próximo à Madagascar, onde permaneceu escondido. Apesar do esforço, acabou sendo capturado e, em 1730, sob a acusação de pirataria.


O criptograma e o tesouro do pirata

Uma vez capturado ele foi condenado à forca. Diz a lenda que suas última palavras foram: “Encontre meu tesouro, aquele que entenda isso”, e jogou um criptograma na multidão.


Até hoje, as pessoas ainda estão tentando decifrar as instruções, e muitos desistiram há muito tempo, acreditando que a mensagem enigmática era apenas uma piada para levar as pessoas a uma perseguição sem fim. No entanto, em meados do século 20, um avanço foi feito por um inglês chamado Reginald Herbert Cruise-Wilkins. Ele estava procurando ativamente o tesouro há anos, certo de que havia sido enterrado na pequena ilha de Mahe e valia cerca de 100 milhões de libras. Alguns anos antes, Cruise-Wilkins havia descoberto uma série de estátuas de pirataria que estavam enterradas no chão, mas ele acreditava de forma inflexível que não fossem apenas estátuas, mas sim um mapa para onde o verdadeiro tesouro estava localizado.

Reginald finalmente encontrou a localização exata que ele pensava ser a caverna do tesouro e começou a explorar, embora exigisse um trabalho de engenharia muito complexo para garantir que a caverna não fosse inundada pela água do oceano logo acima. Enquanto estava na caverna, ele foi quase morto por um deslizamento de rochas, mas ele conseguiu fugir com uma pistola de pederneira, figuras esculpidas, uma jarra de vinhos do século 17 e algumas moedas. Esta era uma evidência suficiente para sugerir que aquela era, de fato, a localização certa. No entanto, ninguém estava disposto a financiar ainda mais seu projeto, deixando a existência do tesouro como um mistério.


Fontes: HypeScience e Ignoto

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



Comentários

Siga-nos no Facebook

Postagens Recomendadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais acessadas no último mês

Links da Deep Web 2018

Saudações amigos e amigas. Hoje eu volto a publicar no blog Noite Sinistra uma matéria com links da deep web e prints da deep web.
Os links apresentados na matéria abaixo foram coletados entre janeiro e fevereiro de 2018, estando todos eles ativos nesse período, mas nada pode garantir que os mesmos estarão ativos até o final do ano, afinal de contas muitos sites na deep web mudam constantemente seus endereços afim de se manterem o mais seletivos quanto aos usuários que frequentam o espaço.

Exorcismo e orações em Latim

Nas culturas egípcia, babilônica, assíria e judaica, atribuíam-se certas doenças e calamidades naturais à ação dos demônios. Para afastá-los, recorria-se a algum esconjuro ou exorcismo. A cultura ocidental recebeu essas idéias através da Bíblia e do cristianismo primitivo.

Luka Rocco Magnotta: 1 Lunatic 1 Ice Pick

Luka Rocco Magnotta (nascido Eric Clinton Kirk Newman; 24 de julho, 1982) é um ator pornográfico e modelo acusado de matar e desmembrar Lin Jun, um estudante chinês, e mandar vários de seus pedaços por correio para escritórios de partidos políticos canadenses e para escolas elementares de outra província.
Após o vídeo mostrando o assassinato ser publicado, primeiramente, em Fóruns da Deep Web (o vídeo ficou conhecido como "1 Lunatic 1 Ice Pick"), porém hoje em dia o vídeo já pode ser facilmente encontrado em sites especializados em terror Gore, Magnotta fugiu do país, tornando-se motivo para uma “Nota Vermelha da Interpol”, e assim iniciando uma verdadeira caçada internacional. Ele foi preso em 4 de Junho de 2012 em uma Lan House em Berlin, enquanto lia notícias a respeito de si mesmo.

O paraíso do LSD

Em 1997, um químico orgânico chamado Leonard Pickard, junto a Gordon Todd Skinner, construíram o maior laboratório de LSD do mundo. No local, um antigo silo nuclear, eram realizadas várias festas e orgias regadas a drogas.
Segundo fontes, tal laboratório era tão grande que chegou a produzir cerca de 90% do LSD disponível no mundo, isso sem falar nas grandes quantidades desconhecidas de MDMA, ALD-52, extrato de ergot e possivelmente LSZ.

Ted Bundy: O assassino de jovens mulheres

Saudações amigos e amigas. Hoje falaremos de um dos mais notórios serial killers que o mundo já conheceu: Ted Bundy. Ele assassinou cerca de 35 mulheres (crimes reconhecidos pelas autoridades) entre os anos de 1974 e 1978 em seis diferentes estados dos EUA. Ted Bundy é tido, por muitos, como o mais marcante serial killer dos EUA, tornando-se um verdadeiro pop star, muito disso talvez pela forma em que atuou no seu próprio julgamento, ou talvez pela desenvoltura que demonstrava defronte as câmeras em inúmeras entrevistas que deu durante o período em que esteve preso.