Tumba de 3500 anos cheia de múmias foi encontrada no Egito


Uma equipe de arqueólogos encontrou no Egito uma tumba de 3,5 mil anos cheia de múmias. Para os especialistas, no local certamente descansa o rei Amenemés I, que reinou entre 1991-1962 a.C, mesmo que seu corpo ainda não tenha sido identificado.

Até agora foram encontradas duas câmaras funerárias na cripta, que contém múmias, sarcófagos, máscaras e estátuas de madeira e cerâmica. Em uma delas estão os restos de três múmias com os seus crânios expostos, mas ainda não se sabe se eles pertenciam aos familiares do faraó.


Isso porque acredita-se que o local foi reaberto durante o Terceiro Período Intermediário, um momento da história do Egito que ocorreu entre 1070 a.C. e 664 a.C. "Outras pessoas claramente reutilizaram essa tumba e ficaram por lá na antiguidade. Provavelmente é por isso que suas cabeças estão descobertas", conta o arqueólogo Mostafa Waziri em entrevista ao jornal The New York Times. 


Os pesquisadores acreditam que podem encontrar mais quatro criptas no local, já que até agora 50 cones funerários (objeto comumente encontrado em criptas egípcias) foram encontrados perto da tumba, sendo que 40 deles pertencem a outros corpos.



Além de serem benéficas para o turismo no Egito, as descobertas podem ajudar os historiadores a entenderem melhor esse período. "O Egito moderno foi construído em cima do antigo Egito. Até hoje nós encontramos apenas 30% dos monumentos egípcios; 70% permanecem enterrados", aponta Zahi Hawass, especialista no assunto, para o The Guardian.

Fonte: Galileu

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



Comentários

SIGA-NOS NO FACEBOOK

POSTAGENS MAIS VISITADAS DA SEMANA

Links da Deep Web 2019

Links da Deep Web 2018

O assassinato de Skylar Neese

A lenda da mulher do Táxi

Gesina Gottfried: A noiva do Demônio

Links da Deep Web

Acidente nuclear secreto na Rússia criou a misteriosa nuvem radioativa sobre a Europa

Links Sinistros 152

A lenda da carruagem de Ana Jansen