Exame de DNA contesta afirmação contida na Bíblia Pular para o conteúdo principal

Exame de DNA contesta afirmação contida na Bíblia


“Não deixarás vivo nada que respire,” disse Deus, segundo a Bíblia. “Irás destruí-los completamente”. A frase do antigo testamento se referia aos cananeus, um povo que viveu há milhares de anos na região que hoje corresponde à Jordânia, Líbano, Síria, Israel e os territórios palestinos. De acordo com o texto sagrado, sua vontade foi cumprida, mas agora uma pesquisa parece contrariar que tal vontade divina de fato tenha sido cumprida.

Uma nova análise genética, com coleta de DNA de cadáveres encontrados na região que tal povo habitava, conforme pode ser observado na imagem que ilustra essa postagem, determinou que a população antiga sobreviveu a esta ordem divina, e que seus descendentes vivem no Líbano moderno.

O Dr. Tyler-Smith e uma equipe internacional de geneticistas e arqueólogos estudaram amostras de DNA de ossos pertencentes a cinco cananeus, recuperados de um sítio arqueológico em Sidon, Líbano, que tinham entre 3.650 e 3.750 anos de idade.

Os especialistas compararam o DNA antigo aos genomas de 99 pessoas vivas do Líbano que o grupo havia sequenciado, e descobriram que o povo libanês moderno compartilha cerca de 93% de seus genes com as amostras da Idade do Bronze de Sidon.

“Podemos ver que os libaneses da atualidade podem rastrear a maior parte de sua ascendência aos cananeus ou a uma população geneticamente equivalente,” disse Chris Tyler-Smith, geneticista do Instituto Wellcome Trust Sanger e autor do artigo sobre o estudo, publicado no The American Journal of Human Genetics. “Pouco mais de 90% de sua ascendência deriva dos cananeus”.

“A conclusão é clara,” reafirmou Iosif Lazaridis, geneticista de Harvard que não participou da pesquisa. “Com base neste estudo, descobriu-se que as pessoas que viveram no Líbano há quase 4 mil anos eram muito similares às pessoas que vivem ali hoje, aos libaneses modernos”.

O fator surpreendente do resultado – além do fato de que os cananeus não se extinguiram – é que ele indica que, apesar das migrações e conquistas que o Líbano viveu, o DNA dos libaneses atuais é definido por ancestrais cananeus.

Pouco se sabe sobre esta etnia, além do fato de que descendia de grupos de agricultores que se assentaram no Oriente Médio durante o Neolítico, e há cerca de 5 mil anos se misturaram com imigrantes do leste da Eurásia. Eles viviam e faziam comércio ao longo da costa oriental do Mediterrâneo atual, uma região que era conhecida como Levante. No entanto, não há registros desta civilização, provavelmente porque foram escritos em papiros que não suportaram o passar do tempo.

O DNA é, portanto, o registro histórico que nos resta dos cananeus, e revelou esta informação importantíssima.

“Observamos que há uma forte continuidade genética entre a população antiga e as modernas,” disse o geneticista espanhol Javier Prado, coautor do estudo. “Ambas as populações têm pigmentação da pele, olhos e cabelos semelhantes, embora seja provável que os cananeus tivessem a pele mais escura, já que não possuem uma variante em um gene, o SLC45A2, que é, curiosamente, o mesmo que está relacionado ao albinismo de Copito,” ele declarou ao jornal espanhol El País.


Sodoma e Gomorra

Os cananeus são veementemente condenados no Antigo Testamento – eles eram os habitantes de Sodoma e Gomorra, duas cidades destruídas com fogo e enxofre diretamente por Deus, de acordo com o Livro de Gênesis.

Enquanto a Bíblia diz que eles foram exterminados pelos israelitas sob Josué na terra de Canaã, passagens posteriores sugerem que havia pelo menos alguns sobreviventes. Alguns estudiosos bíblicos argumentam que as passagens são uma hipérbole, mas a pesquisa genética parece indicar que o abate foi muito menos extenso do que o descrito.

Também conhecidos como fenícios, os cananeus provaram ser excelentes comerciantes marítimos e estabeleceram colônias no Mediterrâneo.

Eles também são creditados com a invenção do primeiro alfabeto, embora, ironicamente, poucos registros escritos tenham sobrevivido ao passar do tempo, então as histórias que os descrevem em grande parte vêm de inimigos e rivais, como os israelitas, os egípcios e os gregos.

Fonte: Yahoo Notícias

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



Comentários

Siga-nos no Facebook

Postagens Recomendadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais acessadas no último mês

Links da Deep Web 2018

Saudações amigos e amigas. Hoje eu volto a publicar no blog Noite Sinistra uma matéria com links da deep web e prints da deep web.
Os links apresentados na matéria abaixo foram coletados entre janeiro e fevereiro de 2018, estando todos eles ativos nesse período, mas nada pode garantir que os mesmos estarão ativos até o final do ano, afinal de contas muitos sites na deep web mudam constantemente seus endereços afim de se manterem o mais seletivos quanto aos usuários que frequentam o espaço.

Exorcismo e orações em Latim

Nas culturas egípcia, babilônica, assíria e judaica, atribuíam-se certas doenças e calamidades naturais à ação dos demônios. Para afastá-los, recorria-se a algum esconjuro ou exorcismo. A cultura ocidental recebeu essas idéias através da Bíblia e do cristianismo primitivo.

Luka Rocco Magnotta: 1 Lunatic 1 Ice Pick

Luka Rocco Magnotta (nascido Eric Clinton Kirk Newman; 24 de julho, 1982) é um ator pornográfico e modelo acusado de matar e desmembrar Lin Jun, um estudante chinês, e mandar vários de seus pedaços por correio para escritórios de partidos políticos canadenses e para escolas elementares de outra província.
Após o vídeo mostrando o assassinato ser publicado, primeiramente, em Fóruns da Deep Web (o vídeo ficou conhecido como "1 Lunatic 1 Ice Pick"), porém hoje em dia o vídeo já pode ser facilmente encontrado em sites especializados em terror Gore, Magnotta fugiu do país, tornando-se motivo para uma “Nota Vermelha da Interpol”, e assim iniciando uma verdadeira caçada internacional. Ele foi preso em 4 de Junho de 2012 em uma Lan House em Berlin, enquanto lia notícias a respeito de si mesmo.

O paraíso do LSD

Em 1997, um químico orgânico chamado Leonard Pickard, junto a Gordon Todd Skinner, construíram o maior laboratório de LSD do mundo. No local, um antigo silo nuclear, eram realizadas várias festas e orgias regadas a drogas.
Segundo fontes, tal laboratório era tão grande que chegou a produzir cerca de 90% do LSD disponível no mundo, isso sem falar nas grandes quantidades desconhecidas de MDMA, ALD-52, extrato de ergot e possivelmente LSZ.

Ted Bundy: O assassino de jovens mulheres

Saudações amigos e amigas. Hoje falaremos de um dos mais notórios serial killers que o mundo já conheceu: Ted Bundy. Ele assassinou cerca de 35 mulheres (crimes reconhecidos pelas autoridades) entre os anos de 1974 e 1978 em seis diferentes estados dos EUA. Ted Bundy é tido, por muitos, como o mais marcante serial killer dos EUA, tornando-se um verdadeiro pop star, muito disso talvez pela forma em que atuou no seu próprio julgamento, ou talvez pela desenvoltura que demonstrava defronte as câmeras em inúmeras entrevistas que deu durante o período em que esteve preso.