Evento do Curuçá, o Tunguska brasileiro

em 06/01/2014


Olá amigos e amigas...eu voltei!!!! Essa postagem marca o retornos das férias, e portanto, as atividades do blog Noite Sinistra voltam a ser normalizadas. Essa postagem de retorno é na verdade uma dica enviada pelo amigo, colaborador, parceiro e ninja, o senhor Rusmea, dono do blog Rusmea.com. A postagem de hoje é um evento ocorrido no Brasil, que se assemelha ao evento Tunguska na Sibéria.

Tunguska brasileiro, ou evento do Curuçá, são os termos pelos quais ficou conhecido o evento de impacto ocorrido no estado brasileiro do Amazonas no dia 13 de agosto de 1930, análogo ao evento de Tunguska, ocorrido na Sibéria em 1908. O evento foi provavelmente uma queda cósmica que teria ocorrido na região do Rio Curuçá, no município brasileiro de Atalaia do Norte, no estado do Amazonas. À época, ribeirinhos e indígenas da região afirmaram que viram "bolas de fogo" caindo do céu, tendo estas atingido a margem direita do rio Curuçá.

O fenômeno ficou esquecido por mais de cinquenta anos, tendo sido "reavivado" após o astrônomo inglês M. E. Bailey ter encontrado nos arquivos do Vaticano uma edição de 1931 do L'Osservatore Romano que continha registros do monge capuchinho-franciscano Fedele d'Alviano, que visitou a região apenas cinco dias após o ocorrido. Na época, Fedele d'Alviano entrevistou diversas pessoas da região, que lhe disseram que ficaram assustadas com o ocorrido. Segundo Bailey, o evento do rio Curuçá foi uma das quedas cósmicas mais importantes do século XX. Investigando a data do evento, acredita-se tratar de um meteorito proveniente da chuva de meteoros das Perseidas, que riscam os céus no mês de agosto (e cujo pico máximo é a 12 de agosto).

Inspirado no artigo de Bailey e baseado em imagens dos satélites LANDSAT, o astrofísico brasileiro Ramiro de la Reza conseguiu identificar um astroblema de 1 km de diâmetro, localizado a sudeste da localidade de Argemiro, nas seguintes coordenadas geográficas: 5° 11 S, 71° 38 W.


Na primeira semana de junho de 1997, de la Reza liderou uma expedição organizada pela Rede Globo e co-financiada pela ABC-TV da Austrália, até a região onde ocorreu o fenômeno. A suposta cratera realmente foi encontrada, mas no entanto ainda faltam provas que atestem o fato de que ela surgiu a partir do impacto do meteorito relatado em 1930. No entanto um registro do Observatório Sismológico San Calixto em La Paz e interpretado por A. Vega, da mesma instituição, mostrou que aquela cratera poderia ter sido criada na mesma data, sugerindo que o sinal sísmico estaria relacionado ao impacto de um meteorito daquele tamanho. No entanto um grupo mexicano recentemente contestou que a cratera e o registro sísmico estariam relacionados ao evento.

O governo brasileiro poderia, como fez o governo russo no evento Tunguska, disponibilizar uma equipe qualificada para pesquisar, e, de fato, caracterizar o que pode ter sido o segundo maior evento observado no mundo moderno. Até o momento apenas um missionário religioso e uma pequena expedição financiada pela TV avaliaram o evento.

Fontes: Wikipédia e Geopedrados

8 comentários:

  1. Seja bem vindo de volta , e muito interessante , dessa eu não sabia

    ResponderExcluir
  2. Eu sabia do evento de Tunguska, mas não desse... Será que existe a possibilidade de isso acontecer de novo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A possibilidade sempre existe...afinal volta e meia somos surpreendidos com noticias a respeito de meteoros e tals...acho bem possível algo semelhante acontecer novamente...

      Excluir
  3. Thanks for sharing the valuable information.BICSI Data Center Design Consultant (DCDC) Certification teaches the candidates the necessary technical skills to implement on various facets within data center design. The certification will provide the professionals with an in-depth understanding of mechanical, electrical and telecommunications systems, reliability needs, security needs, and building requirements.know more: dcdc

    ResponderExcluir
  4. common it problems Each profession has some challenges. However, the problem with most IT help desks is that they let many issues pile up to the extent that sorting them out becomes difficult. In this piece, you will get to learn about some common help desk problems and solutions.

    ResponderExcluir
  5. Hi Nice Post,
    I work as a marketing specialist and staff author at Externetworks which is a pioneer in Managed Technology Services with over 17+ years of experience in providing end-to-end solutions featuring design, deployment and 24*7 support to top IT companies. We offer world-class managed services for businesses to stay agile & profitable. Our services include 24/7 Network Monitoring, Uptime maintenance, NOC Support, IT Helpdesk services.

    To know about real time security monitoring

    ResponderExcluir

Topo