O jovem ficou 49 dias à deriva no mar | Noite Sinistra
25/09/2018

O jovem ficou 49 dias à deriva no mar


O mundo é repleto de histórias curiosas. Esse é o caso do que recentemente ocorreu com Aidi Novel Adilang, um adolescente indonésio está a salvo depois de ficar mais de um mês e meio em alto mar em uma cabana de pesca flutuante, segundo noticia o Jakarta Post.

Embora essa não seja uma história de terror, acho esse tipo de notícia lotada de curiosidade. Convido os amigos e amigas a conhecerem um pouco mais sobre esse assunto.

Aidi Novel Adilang, de 19 anos, estava encarregado de trocar as lâmpadas que são usadas para atrair os peixes, segundo informa um post do consulado da Indonésia em Osaka (Japão), que cuidou do resgate do jovem. A geringonça, conhecida como rompong, estava a cerca de 120 km da costa. Aldi executava a tarefa sozinho, mas era visitado uma vez por semana por alguém que capturava os peixes e fornecia comida e outros suprimentos para ele, de acordo com o jornal local.

Aldi permaneceu na pequena embarcação, que estava ancorada por uma longa corda. Mas, em julho, após fortes ventos atingirem seu barco, a corda se partiu, e Aldi flutuou sentido ao Oceano Pacífico. O adolescente ficou sem suprimentos em poucos dias, mas ele ia pegando peixes e os cozinhando com madeira queimada de sua embarcação. Para se hidratar, ele usava sua roupa para filtrar um pouco do sal da água, segundo o The Guardian. Ele também fez uma espécie de chuveiro utilizando bambu.

Aldi disse ao jornal TribunManado que pensou que iria morrer e considerou se afogar algumas vezes para acabar com o sofrimento. No entanto, ele achou conforto em sua fé ao rezar frequentemente e ao ler a Bíblia.

“Toda vez que ele via uma embarcação grande, ele tinha esperança de ser resgatado, mas mais de dez navios passaram por ele, e nenhum parou ou viu Aldi”, disse Fajar Firdaus, um diplomata do consulado em Osaka, que cuidou do resgate de Aldi, disse ao Jakarta Post. “Aldi disse que estava assustado e que chorou diversas vezes enquanto estava à deriva.”

Em 31 de agosto, Aldi viu um navio cargueiro que o salvaria. Mas, quando ele acenou com suas roupas, tentando chamar a atenção da tripulação, ninguém o viu, segundo o Jakarta Post. Aldi então tentou utilizar um rádio para entrar em contato com a embarcação e conseguiu chamar a atenção do capitão. O navio teve de circular algumas vezes ao redor de Aldi para finalmente conseguir chegar próximo a ele e resgatá-lo.


A tripulação alimentou Aldi, deu roupas a ele e cortou o cabelo do jovem. O cargueiro levou Aldi ao Japão, onde o consulado conseguiu levá-lo de volta para casa. Ele voou de volta para sua cidade, Manado, no início do mês.

Aldi disse ao TribunManado que não iria mais trabalhar no mar e que agora prefere trabalhar em terra firme.


Fonte: Gizmodo

Quando amanhecer, você já será um de nós...


CONFIRA OUTRAS POSTAGENS DO BLOG NOITE SINISTRA



0 Comentários
Comentários
Nenhum comentário :

Página do Facebook

Publicidade 1

Noite Sinistra no Instagram

Postagem em destaque